quinta-feira, 25 de agosto de 2011

“Desapego”

O coração já não reclama,
Vejo o aveludado da areia
Sem causar encanto, nenhum
Bem espero. A cor pálida da

Minha pele branca, já desfalece.
Há de ser que o sol da primavera
Aqueça-me, a de ser que a brisa
Matutina esvoaça-me o cabelo,

Que entre areia em meus olhos
Cansados, sei não, o fecho para
Não ver a aurora, nem me apego a
Dor de outrora, ou felicidade
Fantasiosa!


Um comentário:

  1. eliane denise panosso11 de novembro de 2011 18:20

    Como é dificil esquecer um bem querer....acho que a razão perde espaço para o coração.Não adianta, quando se ama,tudo se volta ao amor,se esquece de sofrer ,da dor,do desamor,o coração só quer este ser que preenche o vazio,que de tão intenso floresce....se é fantasia,que vivamos enquanto dure.....

    ResponderExcluir

Agradeço por iluminar este espaço como um Dia de Verão!