terça-feira, 16 de agosto de 2011

“Ruazinha empoeirada”

Aprendi um novo caminho,
Eu sempre pensei, porque
Não andar naquela ruazinha?
É de terra e tem poeira, mas

Tem um jardim a sua margem!
O dia estava ensolarado, os
Meus pés doíam, não pensei,
Fui em frente. Vi que também

Havia ali uma casinha branca,
Na janela uma menina com uma
Flor no cabelo, seus lábios parecia
Uma maça. Apaixonei-me, hoje;
Moro naquela rua, la na casinha.

3 comentários:

  1. Coisa linda! Porque você não chegou até aquela casinha! Pra beijar a menina! Mãe! Eu te amo meu amor! Quero te ver!

    ResponderExcluir
  2. é muito bom quando conhecemos caminhos que nos leve até a felicidade. Muito singelo e belo seu poema.Parabéns poeta.

    ResponderExcluir

Agradeço por iluminar este espaço como um Dia de Verão!